SITIOS DE INTERÉS

PONTOS DE INTERESSE PRÓXIMOS

PONTOS DE INTERESSE PRÓXIMOS

Nem tudo é vinho e gastronomia em Mendoza, porque também é uma cidade para desfrutar por sua arquitetura, seus amplos espaços abertos e sua atividade cultural. Para comprová-lo, basta caminhar pelo recém-renovado La Alameda, um passeio arborizado para pedestres com bares que colocam suas mesas ao ar livre. Outro espaço verde que marca o pulso da cidade é a Plaza Independencia, localizada no centro da cidade, que hospeda a feira de artesanato e o Museo de Arte Moderno. A praça também é sede dos grandes eventos da cidade, como a Fiesta de la Vendimia.


No entanto, o grande pulmão da cidade é o Parque General San Martín, com nada menos do que 307 hectares, onde há um lago artificial, um roseiral e 17 km de caminhos ideais para caminhar, correr ou andar de bicicleta. Comprar uma garrafa de Malbec, alguns petiscos e fazer um piquenique sob as árvores do parque é um plano perfeito para o entardecer e as noites de primavera. A amplitude do parque permite o acesso a áreas muito tranquilas. Dentro do parque também está o Cerro de la Gloria e seu Monumento Nacional al Ejército de los Andes e ao General San Martín (importante personagem histórico argentino), sem dúvida um lugar para conhecer em seus passeios turísticos pela cidade.

Em relação aos museus, destaca-se o Museo de Bellas Artes Emilio Guiñazú, também conhecido como Casa de Fader, pela obra de Fernando Fader, famoso pintor impressionista que pintou os murais da casa. Além de visitar a valiosa coleção de arte, vale a pena dar um passeio pelo jardim de ciprestes.


RESTAURANTES

RESTAURANTES

RESTAURANTES

Talvez seja por uma questão de maridagem ou porque um bom vinho sempre procura a companhia de um bom prato e vice-versa, mas a verdade é que junto com o auge do vinho, surgiu em Mendoza uma camada de chefs muito criativos que combinam os vinhos com os melhores produtos da região, como o cabrito e o azeite de oliva. Assim, na cidade existem excelentes restaurantes como o Siete Cocinas, onde o chef Pablo del Río prepara pratos com produtos de cada uma das sete regiões gastronômicas da Argentina: sem dúvida, uma opção original e muito gostosa. Outros restaurantes muito escolhidos pelos visitantes e moradores são La Marchigiana, especializado em comida ítalo-argentina, e Azafrán, com comida regional de alta gama em um salão decorado como um antigo armazém.


Também se gerou na cidade um circuito de restaurantes alternativos, muitos deles instalados em casas particulares, como o caso de Los Chocos, gerido por dois chefs e sommeliers, que conta com apenas uma mesa para doze pessoas e trabalha com um cardápio fixo baseado nos produtos da estação. Outro lugar semelhante é Ituzaingo, um espaço tipo loft com um encantador pátio para as noites de verão.

Finalmente, é impossível não recomendar o restaurante 1884, um clássico em Mendoza por dois motivos: primeiro, pela qualidade de sua culinária e segundo porque a cozinha é dirigida por Francis Mallmann, um dos chefs mais renomados da Argentina. Não está presente lá fisicamente todos os dias, mas sua marca é percebida na utilização dos ingredientes puramente locais, como o milho e as batatas andinas. Este já era um dos primeiros grandes restaurantes da cidade, quando Mendoza ainda não era o destino turístico que é hoje.


BODEGAS

ADEGAS

ADEGAS

As opções para percorrer os vinhedos e provar os seus vinhos são muito amplas e podem ser realizadas de forma independente ou através de pacotes turísticos, que muitas vezes incluem o transporte, almoço e visitas, a um ou mais produtores em um mesmo dia.


Dentro da centena de casas que abrem suas portas para os visitantes, existem desde grandes produtores vinícolas com restaurantes de alta gama até pequenas vinícolas boutiques atendidas por seus proprietários. Perto de Mendoza existem várias regiões vinícolas. Cada uma delas com a sua particularidade. Luján de Cuyo e Maipú são duas das regiões mais próximas ao centro da cidade. Maipú, por exemplo, está apenas a três quilômetros e possui algumas das adegas mais antigas da região. Além disso, lá funciona o Museo Nacional del Vino y la Vendimia. O Valle de Uco, entretanto, que está a oitenta quilômetros da cidade, é uma das regiões mais procuradas nos últimos anos e oferece as belas paisagens das vinhas em contraste com os picos nevados da Cordilheira dos Andes.

O seu plano ideal dependerá do tempo disponível e de qual seja seu tipo de interesse no mundo do vinho. Em geral, todos os estabelecimentos vinícolas oferecem uma visita guiada aos vinhedos seguida por uma degustação para conhecer as diferentes marcas e variedades de vinhos. Muitos também oferecem almoços maridados (que combinam as comidas com os diferentes vinhos) e programas de piqueniques nos vinhedos. E isso não é tudo: alguns oferecem atividades extras, como passeios de bicicleta, colheita de azeitonas e passeios de balão.

Para obter mais informação sobre as adegas e sobre como planejar seu roteiro de viagem pelos caminhos do vinho, pode visitar alguns dos seguintes sites:

www.caminosdelvino.com
www.mendozawinetoursandtravel.com
www.maipucunadelvino.com


FIESTA DE LA VENDIMIA

FESTA DA COLHEITA

FESTA DA COLHEITA

Outra maneira de abordar o mundo do vinho em Mendoza é chegar no início de março. A cada ano, durante dez dias, é realizada a Fiesta de la Vendimia (festa da colheita ou vindima), o evento mais importante da província, com dezenas de desfiles, shows e a escolha da Reina de la Vendimia (rainha da colheita ou vindima). Esta festa é quase como um carnaval para celebrar as vinhas e a colheita.


OTROS PUNTOS DE INTERÉS

OUTROS PONTOS DE INTERESSE

OUTROS PONTOS DE INTERESSE

Outra atração da cidade de Mendoza é o que acontece nos seus arredores, onde você encontrará várias atividades interessantes por seu valor geográfico e histórico. Basta dizer que a 165 km do centro da cidade encontra-se o Parque Provincial Aconcagua, que guarda essa montanha que com seus 6.960 metros de altura é o segundo pico mais alto do mundo, depois do Everest. Seus cumes nevados dominam a paisagem e sua vista privilegiada pode ser apreciada de um mirante onde geralmente param todas as excursões que partem da cidade. Além disso, os passeios, geralmente com duração de um dia, percorrem outros lugares inesquecíveis.


Um desses lugares é Puente del Inca, uma curiosa formação geológica com a cor ocre que cria uma ponte natural que atravessa o rio Las Cuevas e que foi fundamental para comerciantes e viajantes durante a época colonial. Além disso, por suas características rochosas, as águas que entram em contato com essa superfície são mineralizadas e geram fontes termais curativas. A poucos metros de distância, encontram-se as ruínas de um hotel que funcionou até meados dos anos 60, quando foi destruído por uma avalanche.

Outra atração nos arredores da cidade é o imponente monumento do Cristo Redentor, perto da fronteira entre o Chile e a Argentina. Como está situado a grande altura e o acesso é através de uma estrada sinuosa de nove quilômetros, não pode ser visitado durante o inverno.

Muito mais perto da cidade, a pouco mais de 30 quilômetros, surge outro destino muito frequentado pelos visitantes: as Termas de Cacheuta, situadas às margens do rio Mendoza, onde há um Parque de Agua (com piscinas) e um Centro Termal (com piscinas de pedra) para banhar-se cercado pela paisagem deslumbrante da Cordilheira dos Andes, até mesmo no inverno, quando as suas águas mornas serão ainda muito mais apreciadas. Além disso, existem serviços de massagens, spa e hidroterapia. Um refúgio muito procurado por aqueles que buscam momentos para relaxar.

Finalmente, se você gosta realmente de esportes de aventura, também encontrará o que fazer perto da cidade: praticar rafting nas corredeiras do rio Mendoza, antes de chegar ao Dique Los Potrerillos. E se você estiver pensando em viajar no inverno, prepare seus esquis e dirija-se ao complexo Los Penitentes, com 25 pistas de diferentes níveis de dificuldade.